O Comentário de Arnaldo Jabor - Arnaldo Jabor

O Comentário de Arnaldo Jabor - Arnaldo Jabor

Brazil

Comentários do cineasta e jornalista sobre política, economia, cultura e comportamento.

Episodes

Qual o grau de culpa de Michel Temer?  

Será que o impeachment do presidente será um avanço maior do que as reformas econômicas? Afinal, estamos andando para frente ou para trás? Só o futuro dirá, mas o passado não é muito animador.

A bomba explodiu e ninguém sabe o que vai acontecer  

Só temos perguntas. O Temer vai renunciar? Vai ter impeachment? Vai ter eleição indireta? Vai ter eleição direta? A única certeza é de que o Brasil vai passar por uma experiência política rara.

Uma crise mundial que depende de psiquiatria  

É uma luta entre psicóticos que controlam o planeta: Kim Jong-un e Donald Trump. Diplomacia não vai resolver uma disputa entre dois malucos, muito diferente da realidade na Guerra Fria.

O que vai ser do Rio de Janeiro?  

Há uma soma de problemas insolúveis. O estado está quebrado, assim como a cidade. A polícia, mal paga e mal armada, está perdendo para a criminalidade. Não adianta botar 300 soldados da Avenida Brasil, porque os traficantes ficam observando e esperando a hora de voltar às ruas.

Todos os dias recebo e-mails me elogiando por textos que nunca escrevi  

É absurda a quantidade de artigos escritos e creditados a mim falsamente. Tento até explicar os leitores sobre isso, mas não parece surtir efeito. Por algum motivo, decidiram que sou especialista em amor e sexo.

Trump quer transformar insensatez na nova normalidade  

Subida ao poder de Trump tudo fica mais louco e provoca mais medo. Ninguém sabe o que fazer e o presidente dos EUA se aproveita disso. Ele diz que gosta de ser imprevisível. Ele enlouquece a mídia. E é justamente a insensatez que ele quer para acostumar a opinião pública com seu autoritarismo psicótico.

É estranho, mas pode ser que o Brasil esteja evoluindo de costas  

Hoje, Lula será inquirido por Moro. Há dez anos, desde o Mensalão nunca aprendemos tanto de cabeça para baixo. Já sabemos que a corrupção do país não é um desvio, é a norma. Enquanto bilhões eram pilhados das escolas e da Saúde, Lula brilhava na TV e seus apóstolos estavam felizes em seus empregos e sindicatos.

Advogados de Lula querem adiar depoimento para ganhar tempo  

O ex-presidente comanda sua defesa, que, aliás, é eficiente e inteligente. Juntos eles resolveram transformar tudo numa questão política para dizerem que a intenção é queimar a imagem de Lula. Se nada disso funcionar, amanhã teremos o dia D.

França elegeu o melhor  

Marine Le Pen seria um grave perigo para a União Europeia. A vitória de um homem sério, culto e competente é uma grande conquista para o mundo. A França é o berço da liberdade e da cultura ocidental e, junto com a Alemanha, pode recuperar o seu papel fundamental: impedir que e Europa tome a trilha da estupidez fascista e violenta.

A melhor porta para a ditadura é a democracia  

No mundo atual, a democracia virou uma armadilha. O conceito virou uma desculpa para as maiores violências. Antigamente, os inimigos eram mais visíveis. Maduro, por exemplo, tem o argumento de que foi eleito. A oposição do país continua achando que vai depô-lo pelas belas causas da razão e da sensatez.

A burocracia inventou o Brasil  

Segundo a ONU, a burocracia mundial provoca corrupção e prejuízos de mais de US$ 2 bilhões anuais. No Brasil, essa doença nasceu em 1500, com Cabral e suas caravelas, com o objetivo de fortalecer o poder da coroa portuguesa, de modo que a sociedade servisse ao Estado, e não o Estado à sociedade.

Guerra do Vietnã completa 42 anos hoje  

O conflito marcou época. A geração de 1960 acompanhava diariamente a luta do povo vietnamita contra os invasores americanos. O dia mais emocionante foi a ofensiva vietcongues no ano novo lunar. Hoje, a guerra é contra um inimigo sem rosto.

Eleição de Trump foi uma lição de vida para os democratas  

Eles se achavam no melhor dos mundos e a vanguarda do bem. Achavam-se intocáveis. Agora, eles vão ter que se mancar e lutar mais para dominar a extrema direita americana que o Trump convocou. Democracia é luta e eterna vigilância.

Hoje é um dos feriados mais justos  

O trabalhador brasileiro, além de ser sacrificado e mal pago, é usado como capital, e não como mão de obra. O trabalhador já foi muito usado como símbolo, como pretexto para demagogia. As ideologias totalitárias santificaram os trabalhadores, mas não hesitaram em mandá-los para a guerra.

Está tudo tão ruim que uma greve é realmente necessária. Mas contra o quê?  

Ninguém é obrigado a aceitar o governo Temer, mas não se pode colocar toda a culpa em seus dez meses de gestão. Tudo o que está acontecendo é uma tentativa de acabar com as falhas que provocaram uma perda quase total do Estado brasileiro.

Apesar da pulga atrás da orelha, surge uma alegria em meio a tantas maracutaias  

Enfim, surgiram duas boas notícias: graças a uma imensa chuva de e-mails do Brasil inteiro, o relator do projeto de lei de abuso de autoridade tirou do texto a parte mais perigosa, que permitiria interpretações para inviabilizar sentenças. O texto não é o ideal, mas tem uma moderação tranquilizadora. Outra notícia boa foi a aprovação unanime pela Comissão de Constituição de Justiça do Senado do fim do foro privilegiado. Mas essa unanimidade gera uma certa desconfiança.

Trump colocou o bode na sala ao assumir o governo  

No entanto, 100 dias após o início de sua gestão, ele não fez nada do que prometeu, ao desafiar México, China, Alemanha e Austrália. Porém, agora ele conquistou aceitação maior de muitos que o detestavam. Após os bombardeiros na Síria e o perigo da Coreia do Norte, Trump posa de comandante de guerra.

Venezuela, Síria, Turquia, Coreia do Norte e Trump: nova normalidade?  

O mundo está cada vez mais mergulhado em situações insolúveis. Os problemas surgem, mas as soluções não aparecem. O pior é que estamos nos acostumado a situações criadas por políticos como Maduro, Assad, Erdogan e Kim Jong-un, sem falar do presidente americano, que já está sendo elogiado pela opinião pública.

Se não fosse a descoberta do mensalão, talvez estivéssemos em condições irreversíveis  

Caso não tivesse havido essa palavra, iríamos inevitavelmente para a Venezuela verde e amarela. Mas, graças a Deus, os nossos bolivarianos já dançaram.

Com a Lava-jato, descobrimos mais sobre o Brasil  

A depressão que sofremos pode nos instruir sobre a sua cura. Não há possibilidade de alguém se curar sem antes descobrir que está doente. Ao menos, agora os olhos do Brasil estão abertos.

0:00/0:00
Video player is in betaClose