Episódios

  • O Paulo Nazareth, além de ser um artista incrível (sou fã), é daquelas pessoas que a gente vai querer ter sempre perto. Porque ele transborda muito amor. Tem uma fala mansa e doce e suas canções puxam nosso olhar para onde a vida acontece. Você sabe onde a vida acontece?

     Falamos da importância do artista na sociedade e na comunidade religiosa. Falamos de fé e de como todo mundo é um pouco artista quando tem uma causa. Enfim, ouça nosso café e compartilhe com quem ama.

    Paulo, obrigada por esse encontro de fé nas ruas de SP. Foi incrível nosso papo, você já mora no meu coração. 

    #nemtudoqueéamargoéruim

  • Liberdade ou segurança?

    Por inúmeras vezes já me fiz esta pergunta. Questionei também o meu convidado: Será possível viver livre e seguro?

    Sendo o Cristianismo a Religião da liberdade, como a cultura religiosa lida com este assunto? Será que somos livres de fato? Já fritei minha mente pensando nestas coisas muitas vezes, tanto que fiz uma canção, bem antes deste papo ser gravado. 

    Cheguei a alguma resposta? Talvez. Porém qualquer que seja ela, é só uma partida, uma travessia na qual não sabemos o tamanho das ondas. saber a resposta é apenas escolher como atravessar e o que deixar para trás. Desejo que este episódio te ajude a escolher sua travessia.

    Obrigada Andrey, Pastor Andrey, você também me abençoou muito com essa conversa sincera. Deus siga te dando lucidez diante do caos.

    Deixo com vocês a letra de Liberdade, acho que ela resume um pouco o episódio de hoje.

    Ilha, já é hora de partir.

    sonho encontrar o que perdi

    horizonte esconde aonde ir

    pés, já não me querem mais aqui.

    dia, não há lenha pra buscar

    fogo, deixo o ninho se apagar

    travessia certa pra morrer.

    morre a noite? ou morre o alvorecer?

    Liberdade, não me deixe naufragar.

    é tão fria a noite, me carregue sobre o mar

    liberdade, não me entregue a direção.

    rema um lado o medo do outro rema a solidão.

    um farol aponta o cais

    terra firme a nossa paz

    Liberdade, não te deixo mais.

    tempo, a imensidão, você e eu

    fez do seu voar agora meu.

    ancorado em mim o seu lugar

    livre, agora eu vou te carregar.

    Liberdade, não me deixe naufragar.

    é tão fria a noite, me carregue sobre o mar

    liberdade, não me entregue a direção.

    rema um lado o medo do outro rema a solidão.

    um farol aponta o cais

    terra firme a nossa paz

    Liberdade, não te deixo mais.

  • Estão a faltar episódios?

    Clique aqui para atualizar o feed.

  • Porque você não canta Worship? Sim, já me perguntaram. 

    Será que é melhor escolher um caminho que muita gente já testou e aprovou?

    Difícil responder quando isso não deveria ser uma escolha e sim um caminho natural no desenvolvimento de um artista ou de qualquer pessoa.

    Nossa história e trajetória é o que deveria responder naturalmente se estamos encaixados no lugar certo. 

    Estar em um trabalho, faculdade, relacionamento que não respeita nossa essência, pode nos adoecer. 

    Eu nem sempre tenho a resposta do que quero, mas geralmente tenho do que não quero. E isso já é um começo. 

    Eu e minha convidada @mandarodrigues   conversamos, entre outros assuntos, sobre o preço da autenticidade. 

    Quanto a gente paga pra ser fiel ao que sentimos, quanto a gente paga por nos ouvirmos e não sucumbirmos à pressão de um lugar que nem sempre é o  comum?

    Neste episódio especial do #cafesemaçucar temos a presença dos nossos maridos @marciofranks  e  Jorge Henrique que nos ajudam e nos seguram (literalmente) nos braços quando o fardo é muito pesado.

    Amanda e Jorge obrigada por essa conversa gostosa!

    Que o caminho de vocês seja clareado pela mão de Deus a cada escolha.

    Parece que achamos uma bordão pro nosso podcast einn!!! Créditos para o Jorge! 

    Ouça na sua plataforma favorita!

    (Agora também na @Deezer)  

    E-mail - cafesemacucarpod@gmail.com

    @mandarodrigues

    @deisica

  • Ninguém me pediu. Mas eu tomei pra mim a responsabilidade de questionar os padrões que me cercam. Como artista inquieta que sou, não domino dentro de mim a vontade de descobrir a cada dia um jeito melhor e mais bonito de ver a vida.

    Estou amando fazer estes podcasts. Neles estou me desconstruindo e firmando ainda mais quem eu sou e o que Deus espera de mim.

    De maneira nenhuma quero ofender você que se sente desconfortável com minha proposta. Mas nunca te prometi ser o que você espera de mim. Sempre te prometi a mais pura verdade. Seja na minha música ou em qualquer outra linguagem, te prometo estar na caminhada aprendendo a cada dia. E se você está nesta jornada também, podemos ser companhia uma pra outra/o. Que tal? Crescendo e aprendendo juntas/os.

    Este episódio fala de muita coisa, eu tive dificuldade de escolher um nome pra ele. Minha convidada é uma profissional maravilhosa e de forma didática e carinhosa desconstruiu muitos dos meus pensamentos conservadores. Eu entendi e espero que ele te faça pensar também.

    Eu te convido a ouvir e não ter medo da dúvida, ela é um recurso para o nosso crescimento. 

    Quero agradecer muito a Psicoterapeuta, Semioticista e Bioeticista Louise Madeira.

    Nossa conversa foi linda e tenho certeza que o meu público, que é tão carinhoso comigo, vai te agradecer também por dividir um pedacinho do seu conhecimento com eles.

    Obrigada Louise! 

    @low_easy

  • Acordar um belo dia e dizer : não era isso que sonhei pra minha vida. 

    Quem desenhou seu caminho? Sua profissão, sua vocação? Quem diz quem você é ou o que nasceu pra fazer?

    Minha convidada de hoje é uma mulher corajosa. Deixou pra trás uma vida estável e descobriu que tinha algo a dizer através da música.

    Falamos o quanto a vida de um artista pode ser intensa, solitária e maravilhosamente divina. 

    Mudar a nossa rota tem sua beleza e suas dores. Mas no final, sentir-se no eixo, encaixada e feliz fazendo o que nasceu pra fazer, de fato não tem preço.

    É sobre este e outros assuntos nosso podcast de hoje.

    Minha amiga Roberta Spitaletti,  um orgulho da sua história. Seu caminho é só seu, descubra-se todo dia mais neste lugar que ainda é só o começo.

    A música, a arte que Deus te deu é como um jardim. Muitas cores, sabores, cheiros, mas o mais maravilhoso ainda é o encontro. O passeio. 

    Você sempre poderá encontra-lo, e passear com Ele, livre. Pois a arte é um jardim individual, nosso encontro com Ele é único. 

    A cada passeio Ele nos muda um pouquinho. A cada passeio a gente se deixa levar.

    Amei nosso papo! Deus te abençoe muito nesta nova fase! ;)

    @deisica

    @robertaspitaletti

    E-mail - cafesemacucarpod@gmail.com

    Música "Noite Fria" - https://www.youtube.com/watch?v=xfJwzH25r60 

  • É certo que Deus coloca pessoas diferentes com propósitos diferentes em nossa vida. Já tive amizades que pensei serem pra sempre. Mesmo cultivando vínculos verdadeiros não resistimos à distância ou tempo. Cumprimos o propósito na vida um do outro e seguimos em frente, cada um o seu caminho. 

    Outros amigos chegam em fases especiais da nossa vida, a fase que estamos mais maduros e entendendo melhor nossas dores. Estes, acredito que podem ser os amigos para envelhecer. Os que ficarão, os que escolhemos amar suas virtudes e defeitos. São presentes embalados e maturados por Deus, para chegar no momento certo e nos acolher. Com lutas e vitórias parecidas, com dores e cicatrizes nos mesmos lugares. 

    Minha convidada de hoje tem esse lugar na minha alma e eu tenho na dela. Crescemos em contextos religiosos diferentes e descobrimos que isso nunca será um problema. Somente quando nos deparamos com o diferente firmamos de fato nossa essência, caráter e valores. 

    O diferente nos ensina a crescer, quem é o seu amigo para envelhecer? 

    É sobre isso nosso podcast de hoje! Arte, fé e amizade. 

    @oficinavivaproducoes

    @zizafernandes

    @deisica

    cafesemacucarpod@gmail.com

  • Em um papo super descontraído na livraria da vila em São Paulo, eu a minha convidada, a roterista e escritora: Maria Helena Alvim, conversamos sobre os caminhos para começar a escrever. O que é a voz literária?  Como encontrar seu protagonista? O que fazer diante de uma página em branco? São algumas das questões que levantamos. Este é um episódio para aquele que gosta de contar ou ouvir uma boa história!! Enjoy!

    Nos siga no instagram:

    @deisica

    @mhalvim

    A escola que a Maria Helena ensina seus cursos : www.guaraestudio.com.br

    Para enviar sua sugestão de tema ou falar comigo, use o e-mail - cafesemacucarpod@gmail.com

  • Existem regras para se compor uma canção? Convidei o Gabriel Iglesias para bater um papo sobre composição e seu processo criativo. 

    Durante a conversa me referi a um poema da Hilda Hist para refletir se devemos ou não explicar um nossa obra musical.

    segue o poema:

    "É triste explicar um poema.
    É inútil também.
    Um poema não se explica. É como um soco. E, se for perfeito, te alimenta para toda a vida.
    Um soco certamente te acorda e, se for em cheio, faz cair tua máscara, essa frívola, repugnante, empolada máscara que tentamos manter para atrair ou assustar.
    Se pelo menos um amante da poesia foi atingido e levantou de cara limpa depois de ler minhas esbraseadas evidências líricas, escreva, apenas isso: fui atingido.
    E aí sim vou beber, porque há de ser festa aquilo que na Terra me pareceu exílio: o ofício de poeta."

    (Hilda Hilst)

    Nos siga nas redes sociais: 

    @deisica

    @_iglesias_gabriel_

    Deixe seu comentário ou sua sugestão no e-mail: cafesemacucarpod@gmail.com

  • O primeiro episódio do "Café sem Açúcar" não poderia ser normal!
    Gravamos um papo em movimento sobre ser artista com o criativo Estevão Queiroga.
    Acompanhe essa aventura pelo trânsito de São Paulo e envie seus comentários, sugestões ou dúvidas.
    Pode ser pelo meu instagram @deisica ou pelo e-mail cafesemacucarpod@gmail.com.
    Espero que gostem! (não reparem, ainda estou aprendendo a editar audio :)
    Um abraço
    Deise