Episodes

  • Até a gravação deste podcast, o Ministério da Saúde monitorava 16 casos suspeitos de uma hepatite misteriosa em crianças e adolescentes. São 2 no estado do Paraná, 5 no Rio de Janeiro, 6 em São Paulo, 1 no Espírito Santo, 1 em Santa Catarina e um 1 Pernambuco. No mundo, já são quase 350 relatos de casos da doença. Segundo a OMS, os primeiros surgiram no começo de abril no Reino Unido. Nenhum caso até agora tem relação com os vírus mais comuns que causam hepatite, que são A, B, C, D e E. Pelos menos quatro mortes foram registradas, sendo uma confirmada pelas autoridades britânicas e três pela Indonésia. O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos - o CDC - está investigando os casos que surgiram nos EUA e uma possível relação com a infecção por adenovírus tipo 41, que causa doenças semelhantes a gripe ou resfriado ou problemas no estômago e intestino.
    Até agora especialistas do mundo inteiro não chegaram à conclusão do que pode estar causando essas hepatites. Elas teriam alguma relação com a covid-19? Crianças e adolescentes vacinados contra a hepatite estariam protegidos? Nós conversamos com o infectologista pediátrico Marco Aurelio Sáfadi para nos atualizar sobre essa doença que está assustando pais e mães aqui no Brasil.
    Eu sou Valeria Almeida e esse é mais um episódio do podcast do Bem Estar.

  • Pela primeira vez o Vigitel, levantamento anual sobre a saúde nas capitais, feito com mais de 27.000 pessoas, trouxe números da depressão entre os brasileiros. E eles impressionam: em média 11,3% dos brasileiros relatam um diagnóstico médico de depressão, número bem acima da média apontada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Brasil, que é de 5,3%. O levantamento mostrou também que, em média, há mais pessoas no país com depressão do que com diabetes!
    O Vigitel mostrou em números o que se discute em rodas de conversa e redes sociais: a pandemia de fato contribuiu para piorar o quadro de saúde mental do brasileiro e em todas as idades e graus de escolaridade. As mulheres ainda são as mais afetadas.
    No episódio de hoje do Podcast do Bem Estar, vamos entender as causas desse problema, como ele se manifesta no dia a dia e, principalmente, onde buscar ajuda. Depressão é uma doença e tem tratamento. Vamos explicar o passo a passo para obter o tratamento gratuito pelo SUS.
    Quem conversa conosco é a Deborah Malta, médica, epidemiologista, professora da Escola de Enfermagem da UFMG. Ela já coordenou o Vigitel e foi diretora de Doenças Crônicas do Ministério da Saúde por 12 anos. E a Joana Marczyk, psicoterapeuta e psiquiatra, atua no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) em São Paulo.

  • Missing episodes?

    Click here to refresh the feed.

  • Você sabia que 5 pessoas morrem todos os dias de asma no Brasil? E que 10% da nossa população – 22 milhões de pessoas – têm essa doença? A maioria, 97%, tem asma leve e moderada, mas 3% tem a forma grave da doença.

    Um estudo mostrou que apenas 12,3% dos pacientes com asma grave estão com a doença controlada e apenas 32,4% seguem o tratamento prescrito pelo médico. A asma é hoje a terceira causa de internação no SUS. É uma doença crônica e precisa ser tratada. Na maioria dos casos, o tratamento é diário e o asmático deve ser reavaliado a cada 4 meses para ver se é preciso fazer alguma mudança na medicação.

    3 de maio é o Dia Mundial de Combate à Asma. No Podcast de hoje, a gente vai entender melhor essa doença, seus sintomas e vai saber como ter acesso ao tratamento gratuito pelo SUS. Quem conversa conosco é o pneumologista José Eduardo Cançado, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, que também faz parte da Comissão Científica de Asma da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

  • O seu cartão de vacinação está em dia? E dos seus filhos?

    A cobertura vacinal no Brasil, que sempre foi um modelo mundial, tem caído desde 2017. O sarampo voltou a preocupar depois da confirmação de 14 casos da doença este ano, 2 no estado de São Paulo. A doença é altamente contagiosa e a cobertura vacinal nunca foi tão baixa desde 2011.

    Assim como a vacina do sarampo, a da poliomielite também não está tendo a adesão necessária. Em 2021, a vacinação atingiu apenas 58% do público-alvo. São duas doenças que já estavam no passado e voltam a assustar os brasileiros. A pandemia foi a gota d’água, mas há outros fatores que explicam esses números tão baixos. As fake news, os grupos anti-vacinas, a falta de campanhas nacionais e a perda da percepção de risco por parte da população também influem no cenário. Sobre esses assuntos nós conversamos com dois infectologistas: Marco Aurélio Sáfadi e Rosana Richtmann.

  • Chocolate provoca espinha? Alivia a TPM? Diabético pode comer chocolate diet? Será que o amargo é mais saudável?

    Que atire a primeira barrinha de chocolate quem nunca pensou em uma dessas perguntas.
    Há 4 mil anos, o chocolate é mundialmente adorado. Foi descoberto na Mesoamérica, atual México. E, aqui no Brasil, faz sucesso na Páscoa e em todas as épocas do ano.

    Hoje, o podcast do Bem Estar vai desvendar os mitos e verdades do chocolate. Quem participa com a gente é a nutricionista Lara Nattacci e o dermatologista Emerson de Andrade Lima.

  • Considerada um problema de saúde pública pela Organização Mundial da Saúde, a endometriose acomete entre 10 e 12 milhões de brasileiras. É uma doença ginecológica que pode ser extremamente incapacitante, causa cólicas menstruais severas, dores abdominais fora do período menstrual, dores nas relações sexuais e sintomas intestinais e urinários. Além disso, também destrói o sonho de milhões de mulheres de se tornarem mães.

    O Bem Estar recebeu uma série de dúvidas de mulheres que sofrem com essa doença e no podcast de hoje vamos responde-las e explicar como deve ser feito o tratamento dessa doença.
    Nossa convidada é a ginecologista Dra. Helizabeth Salomão, vice-presidente da Associação Brasileira de Endometriose.

    Eu sou Valeria Almeida e esse é o podcast do Bem Estar.

  • Essa semana os holofotes da cerimônia do Oscar se voltaram todos para Will Smith... mas não por ele ter ganho a estatueta de melhor ator pela atuação em “King Richard: criando campeãs”. E, sim, pelo tapa que Will deu no apresentador Chris Rock. O comediante, que apresentava a cerimônia, fez uma piada de muito mau gosto sobre a cabeça raspada de Jada Pinkett Smith, mulher do ator, que tem Alopecia Areata. A doença, que é autoimune, faz com que ela perca o cabelo.

    A atriz e apresentadora começou a falar sobre a doença nas redes sociais em 2018, quando percebeu as primeiras falhas no couro cabeludo. E sem sucesso com os tratamentos, Jada decidiu assumir a careca.

    A Alopecia Areata é um dos vários fatores que levam à queda de cabelo. Outros são o estresse, o puerpério, a Covid, a menopausa e até a falta de vitaminas. É importante descobrir a causa para encontrar o tratamento mais adequado para esse problema que afeta homens e mulheres e mexe muito com a autoestima de todos.

    No episódio de hoje, vamos falar sobre os tipos de queda de cabelo e os tratamentos disponíveis hoje em dia. Nossa convidada é a dermatologista Cristina Figueira de Melo, responsável pelo Ambulatório de Cabelos e Unhas da Unicamp.

  • Na última quinta-feira, o governo do Estado de São Paulo flexibilizou o uso de máscaras em todo o estado. A partir de agora, só é obrigatório por lei, usar a máscara no transporte público e nos locais destinados à prestação de serviços de saúde. O uso agora torna-se opcional em ambientes como escritórios, comércios, salas de aula e academias.
    No Brasil, outros estados já tinham desobrigado o uso de máscaras em ambientes abertos e fechados. Pelo menos 16 capitais brasileiras já deixaram de exigir a máscara em espaços abertos. Dessas, seis também aboliram a obrigatoriedade nos locais fechados. São elas: São Paulo, Maceió, Florianópolis, Natal, Rio de Janeiro e Brasília.
    Em São Paulo foram 22 meses - ou 671 dias - usando máscaras! Elas viraram quase que parte do nosso corpo e algumas pessoas ainda se sentem inseguras em retirá-las totalmente.
    No episódio de hoje, queremos saber: é seguro andar sem máscara? Todo mundo pode aposentá-las ou alguns grupos ainda devem manter o uso?
    Nós recebemos várias dúvidas dos nossos ouvintes e quem vai nos ajudar a esclarecê-las é o infectologista Renato Grinbaum.

  • Duas histórias de mulheres em busca da perda de peso chamaram atenção na mídia e nas redes sociais: a paraense que perdeu um rim após complicações de um procedimento estético para emagrecer com a aplicação de enzimas. E o caso da cantora Paulinha Abelha, da Banda Calcinha Preta, cujos exames toxicológicos foram divulgados na semana passada. Segundo o laudo, havia lesão aguda no fígado e presença de anfetaminas, remédios que têm efeito sobre o apetite, e barbitúricos, como sedativos e calmantes. A receita de emagrecimento de Paulinha, assinada por uma nutróloga, tinha 18 substâncias. O objetivo: inibir a absorção de carboidratos, gordura e aumentar o ganho de massa muscular.

    No episódio de hoje, você vai saber como essas fórmulas e remédios para emagrecer atuam no organismo. Quais as complicações que podem acontecer em órgãos como fígado e rins. Vamos falar também sobre os chás emagrecedores: quais são os mais consumidos e a consequência de seu uso indiscriminado.

    Eu sou Michelle Loreto e esse é mais um podcast do Bem Estar.

  • Quem poderia imaginar que depois de 2 anos de uma pandemia que deixou 6 milhões de mortos no mundo e mais de 650 mil só no Brasil iríamos nos deparar com uma guerra? Em pouco mais de uma semana a guerra da Rússia contra a Ucrânia já fez mais de 1 milhão de refugiados, em sua maioria crianças, mulheres e idosos.

    Mesmo acontecendo tão distante fisicamente de nós, com a tecnologia disponível hoje, a guerra está ao vivo dentro das nossas casas, 24h, nas TV e no celular. Se para os adultos é difícil entender as razões dessa tragédia, como traduzir a situação para as crianças? E para os idosos ou aqueles que perderam parentes em outras guerras e passaram a reviver histórias do passado?

    Qual o impacto psicológico da guerra? Como continuar por dentro do que está acontecendo no mundo sem aumentar seu nível de estresse e tensão? Como explicar para as crianças o que está acontecendo sem deixa-las traumatizadas? No episódio de hoje do Podcast do Bem Estar conversamos sobre esse assunto com o psiquiatra do Instituto de Psiquiatra da USP, Daniel Barros, e com a professora do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da USP de Ribeirão Preto e membro do comitê cientifico do Núcleo Ciência Pela Infância, Maria Beatriz Linhares.

  • Neste mês de março a pandemia de covid-19 completa dois anos! Muitas mudanças no nosso cotidiano aconteceram nesse período, como a adoção de máscaras, o distanciamento social e, em alguns casos, o lockdown, ou seja, o fechamento das cidades.
    Mesmo assim, a doença provocada pelo coronavírus Sars-cov-2 matou quase seis milhões de pessoas ao redor do mundo. Somente aqui no Brasil, morreram cerca de 650 mil pessoas vítimas da Covid. E milhões estão sofrendo com os sintomas da chamada Covid longa.
    Agora, com o avanço expressivo da vacinação e a queda no número de internações e óbitos, será que dá pra dizer que a pandemia está chegando ao fim? Podemos relaxar nos protocolos, como o uso de máscaras? Como será a convivência com o coronavírus daqui pra frente? Novas variantes ainda podem surgir? Haverá vacinação anual? O que esperar dos próximos meses?
    Para esclarecer estas e outras dúvidas, recebemos Julio Croda, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, médico da Fiocruz e professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e Maria Amélia Veras, epidemiologista, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e membro do Observatório Covid-19 BR.

  • Se você se olha no espelho e se incomoda com aquelas marcas do tempo como bigode chinês, marionete, código de barras; se está com o rosto muito manchado e a pele flácida, este podcast é pra você. Vamos conversar sobre as tendências de tratamentos estéticos não cirúrgicos que estão em alta no momento. Quais os prós e contras de cada um? Quais são as perguntas que você deve se fazer antes de escolher um deles e quais os cuidados na hora de procurar um profissional para mexer no seu rosto?
    Alguns procedimentos podem ser revertidos, caso a pessoa se arrependa. A influenciadora e atriz Flavia Pavaneli, por exemplo, resolveu tirar o preenchimento labial. Em que casos isso é possível?
    Especialistas concordam que as intervenções mais naturais, que valorizam os pontos fortes do rosto sem distorcer a fisionomia são a tendência do momento. Será que existe uma idade ideal para se recorrer a essas técnicas?
    No episódio de hoje do podcast do Bem Estar, nós conversamos com duas dermatologistas que têm longa experiência com procedimentos estéticos: Denise Steiner e Valéria Campos.

  • Quando uma mulher decide ser mãe, logo surgem os palpiteiros e os julgadores de plantão. “Vai conseguir amamentar? Vai ter parto normal? Não sabe impor limites nos filhos? É rígida demais? Largou o serviço?” São opiniões e questionamentos sem fim.
    E se a mulher decide não ter filhos então... Sofre mais cobranças ainda. A situação é bem ilustrada numa cena da novela “Um Lugar ao Sol” em que a personagem Ilana, vivida pela atriz Mariana Lima, diz que a coisa mais difícil do mundo é bancar a decisão de não ser mãe.
    No episódio de hoje vamos falar sobre como as mulheres podem lidar com essas cobranças e como podem fazer suas escolhas com mais leveza e liberdade.
    As convidadas para este papo são a ginecologista Flavia Fairbanks e a psicóloga e psicoterapeuta de casal e família Natércia Tiba. Quem apresenta o podcast é a nossa parceira Mariana Kotscho, jornalista, consultora de parentalidade e mãe de três filhos.

  • A alimentação da Bárbara, uma das “sisters” do BBB22, tem chamado atenção dentro e fora da casa mais vigiada do Brasil.
    Ela já ficou muitas horas sem se alimentar, faz opção por alimentos menos calóricos como frutas legumes, come muito ovo, chupa limão... O comportamento já rendeu comentários dos outros participantes e deixaram barbara chateada. Fora da casa, especula-se se ela sofre de algum transtorno alimentar.
    No episódio de hoje do podcast do Bem Estar, a partir do exemplo da Bárbara, vamos debater o que é a “restrição alimentar”, como identificá-la e quando ela pode virar um problema de saúde.
    Nossos convidados são o psiquiatra Eduardo Aratangy, supervisor do programa de transtornos alimentares do instituto de psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e a nutricionista Lara Natacci.

  • A liberação da venda de autotestes, autorizada pela Anvisa na última sexta-feira, trouxe os brasileiros para um novo patamar na difícil convivência com a Covid-19. Consumidores, que suspeitam de ter contraído a doença, poderão ir a farmácias ou estabelecimentos de saúde licenciados e comprar o autoteste para tirar a dúvida em casa mesmo. Mas ainda há muitas dúvidas sobre o funcionamento do autoteste: qualquer pessoa está preparada para fazer o exame em casa? Quem deve fazer? Como será feita a notificação de casos positivos? Os autotestes vão ajudar no controle da pandemia? Para tirar essas e outras dúvidas convidamos o presidente-executivo da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial, Carlos Gouvêa, e o infectologista Carlos Fortaleza, também professor da Unesp e membro do Centro de Contingência de Covid do Estado de São Paulo. A apresentação é da Michelle Loreto.

  • Quem tem criança pequena em casa está cheio de dúvidas neste momento. A liberação da vacina para crianças foi um alívio para a maioria dos pais e mães, mas ainda tem muitas perguntas no ar. Serão aplicados imunizantes da Pfizer – para crianças de 5 a 11 anos e Coronavac para crianças de 6 a 11 anos. Quais as diferenças entre as vacinas? Quem pode tomar? Crianças imunossuprimidas podem ser vacinadas? As vacinas são seguras? O Podcast do Bem Estar vai responder essas e outras perguntas com a ajuda do infectologista e pediatra, Renato Kfouri, que acompanhou de perto o processo de decisões do Ministério da Saúde sobre a imunização infantil.

  • A pandemia deixou para segundo plano as arboviroses - doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegipty, como Dengue, Zika e Chicungunya. Mas, a temporada de chuvas e de muito calor forma um cenário perfeito para a proliferação dessas doenças. É hora de redobrar os cuidados.
    Só em 2020 quase um milhão de casos de Dengue foram notificados no Brasil.
    Neste Podcast, Michelle Loreto entrevista o infectologista e coordenador do Comitê de arboviroses da Sociedade Brasileira de Infectologia, Antonio Carlos Bandeira, e também o infectologista André Siqueira, pesquisador de arboviroses da Fiocruz.
    Eles alertam que, apesar da queda de casos de dengue entre janeiro de 2021 e janeiro de 2022, não se pode menosprezar as subnotificações e o relaxamento com os cuidados de prevenção durante a pandemia. E deve haver uma explosão de casos de Dengue e Chicungunya. Vale conferir quais cuidados devem ser tomados, como se prevenir e evitar as arboviroses.

  • Testar. Testar. E testar. Esta foi a orientação da Organização Mundial da Saúde desde o início da pandemia. Com a explosão dos casos de Covid, influenciados pela chegada da variante Ômicron ao Brasil, aliada ao surto de gripe, nunca essa conduta foi tão importante.
    Mas se você tem sintomas gripais, qual teste deve fazer? Para influenza ou para Covid? RT-PCR ou teste rápido? A partir do primeiro dia de sintomas ou do terceiro? São inúmeras as dúvidas e enormes as filas... tanto nos postos de saúde quanto nos hospitais e laboratórios privados.
    No episódio de hoje, vamos explicar tudo sobre os testes disponíveis, onde encontrá-los, quanto eles custam e o período certo para fazê-los. Os planos de saúde são obrigados a reembolsar? E o que esperar do Sistema Único de Saúde?
    Você também vai saber as novidades sobre o autoteste da Covid, que já existe em vários países, e é uma ferramenta importante no controle da pandemia.
    Nossos entrevistados são a infectologista Carolina Lázari, especialista em testes laboratoriais, e o nosso parceiro Jorge Félix, especialista em longevidade.

  • “Chip da beleza”. O nome é atraente. A promessa é fazer emagrecer, ganhar massa muscular, aumentar a libido e a disposição física. O chip é um dispositivo de 3 centímetros, introduzido sob a pele e libera um hormônio sintético, a gestrinona, que tem ação anabolizante.
    Mas o sonho do corpo perfeito de um jeito fácil tem seu preço. O chip não é regulamentando pela ANVISA, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia é contra o seu uso e enviou uma carta à Anvisa alertando sobre o aumento de eventos adversos causados pelo uso do implante de gestrinona e pediu providências. A Febrasgo, Federação Bras. das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, também é contra o chip e adverte que ele não é mais usado nem para o tratamento de doenças dependentes do hormônio estrogênio, como a endometriose. Ele foi substituído por medicamentos mais modernos e sem efeitos colaterais.
    Em dezembro, a Anvisa proibiu a propaganda do hormônio, que pode causar aumento de oleosidade de pele, queda de cabelo, aumento de pelos, engrossamento da voz, aumento do clitóris, acne; e, a longo prazo, sérios riscos à saúde como danos no fígado.
    No episódio de hoje, você vai saber tudo sobre o chip da beleza com a endocrinologista Elaine Costa e com a ginecologista Helizabeth Salomão.

  • Ano Novo, vida nova. É sempre assim. Todo mundo faz uma lista de resoluções e nada mais será como antes: emagrecer, fazer atividade física, parar de fumar, quitar as dívidas, arrumar um emprego, casar. Quais são as suas metas para 2022? E como concretizá-las de forma prática no dia-a-dia? Como mudar hábitos arraigados?
    No nosso podcast de hoje vamos dar dicas pra você incorporar três hábitos muito saudáveis em 2022: caminhar, meditar e comer bem. Não é pouca coisa não! Esses três hábitos podem mudar a sua vida!
    Vamos ouvir a nutricionista Lara Natacci e o cardiologista e especialista em ciência comportamental Marcelo Katz.